Treinos e Provas // 12 jan 2015

Número de corredoras em meias maratonas cresce 90% em três anos no Brasil

Autor Imagem Por Giselli Souza

Pra quem acha que a gente corre só pra emagrecer, tá aí um tapa de luva de pelica digno de divas que correm. O número de corredoras em meias maratonas no Brasil cresceu 90% de 2011 a 2014.

6

Há três anos, éramos 13.334 mulheres, enquanto hoje o pelotão feminino chega a 25.329 atletas, segundo uma pesquisa feita por dois corredores e especialistas no assunto, o treinador e presidente da ATC (Associação dos Treinadores de Corrida de São Paulo), Nelson Evêncio, e o corredor e especialista em marketing esportivo Danilo Balu.

O levantamento é feito pela dupla com base nos números de atletas concluintes em 90 meias maratonas realizadas no Brasil desde 2011.

A outra boa notícia é que nós corremos mais rápido que as americanas. Enquanto nos EUA o tempo médio das corredoras nos 21km é de 2h19min48s, no Brasil é de 2h15min47s.

Saiba tudo sobre a edição de 2015 da W21K
Chegou a hora da minha primeira meia maratona? Descubra!

Por outro lado, nós perdemos em relação à porcentagem de mulheres concluintes em provas de 21km. Enquanto no Brasil 25,5% das atletas concluem uma meia maratona, nos EUA o valor chega a 61%.

Desta forma, o nosso tempo médio nas meias acaba sendo menor, pois estamos em menor número comparado com as gringas. Ainda assim, vale a comemoração.

A Meia Maratona Caixa do Rio de Janeiro é a mais feminina do país, com 44% do público feminino. Em números absolutos, a Meia Maratona Internacional do Rio é a que possui o maior número de atletas (3.566 mulheres) e em porcentagem é a W21K, exclusivamente feminina.

O infográfico completo da pesquisa, que também traz informações completas sobre as meias maratonas no Brasil, está disponível aqui. Leia também o post do Danilo Balu no blog Recorrido sobre a pesquisa.

  • O que esses números significam?

Pra mim, eles mostram o crescimento da corrida feminina no Brasil e também uma mudança na rotina de treinos das brasileiras. Apesar de muitas de nós (eu, inclusive), termos começado a correr para emagrecer ou sair da depressão, o esporte ao longo dos anos virou um estilo de vida e foi incorporado ao nosso dia a dia. Por isso, distâncias maiores e desafios que exigem maior dedicação – algo que a gente não encontra em distâncias mais curtas – acabam virando realidade.

54

É fato que muita gente vai para os 21km sem ter rodagem suficiente, o que acaba causando lesões e frustrações. No entanto, sempre é tempo de recomeçar, intensificar os treinos e (pq não?) voltar lá nos 5km e nos 1okm para melhorar a performance e depois se arriscar em um sub 2h, sub 1h50, 1h40, 1h30 e por aí vai…

O ponto é que nós estamos correndo mais, treinando mais, nos dedicando mais. Isso é fantástico!

E você? Ficou surpresa com a notícia?

Diz aí o que acha de tudo isso.

Boa semana, divas!

Veja mais!